Publicações

“Jovens precisam de soluções temporárias e flexíveis para a primeira casa”

“Jovens precisam de soluções temporárias e flexíveis para a primeira casa”


Dois em cada 10 portugueses entre os 30 e 34 anos ainda vivem com os pais. E 78,1% dos jovens que têm entre 18 e 34 anos não residem onde gostariam. Estas são algumas das conclusões de um estudo da Century 21 Portugal. Em declarações ao idealista/news, Ricardo Sousa, CEO da mediadora, diz que “os jovens necessitam de soluções temporárias e flexíveis para a primeira solução de habitação, na sua vida independente”. Segundo o responsável, os jovens têm “uma cultura de proprietário muito enraizada”, o que “não é um problema”. “Revelam uma orientação convencional que segue o modelo que viram nos seus pais. Porque, apesar das ...Continuar a Ler


Continuar a Ler


O mercado residencial continua a dar sinais de dinamismo em Portugal.

O mercado residencial continua a dar sinais de dinamismo em Portugal.


O mercado residencial continua a dar sinais de dinamismo em Portugal, que se traduzem em maior oferta de produto, num momento em que profissionais do imobiliário reclamam falta de oferta justada às necessidades dos clientes . Na primeira metade do ano, as autarquias licenciaram 8.212 obras de construção e reabilitação de edifícios habitacionais, o que traduz um crescimento de 9,1%, face às 7.525 obras licenciadas no semestre homólogo. Também a nível dos fogos novos licenciados foi verificado um crescimento, de 13,0% em termos homólogos, tendo sido emitidas 11.342 licenças até junho. Os dados constam da Síntese Estatística da Habitação da AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, divulgados em comunicado esta quinta-feira. Outro indicador que ...Continuar a Ler


Continuar a Ler


Maioria dos jovens não vive onde gostaria – e opção de comprar casa ganha força no futuro

Maioria dos jovens não vive onde gostaria – e opção de comprar casa ganha força no futuro


A maioria dos jovens portugueses (78,1%) não vive onde gostaria, sendo que dois em cada 10 jovens entre os 30 e 34 anos ainda residem com os pais. E mais: a cultura de ser proprietário em vez de inquilino continua a estar bem vincada no país, já que 87,9% dos jovens gostariam de morar, no futuro, numa casa própria. Estas são algumas das conclusões do “II Observatório do Mercado da Habitação em Portugal", realizado pela Century 21. “Em primeiro lugar, o estudo analisou a situação atual dos jovens [entre 18 e 34 anos] sobre o seu grau de emancipação e independência económica, as suas motivações para deixar a casa da família ...Continuar a Ler


Continuar a Ler


Rendas vão (mesmo) subir 0,51% em 2020

Rendas vão (mesmo) subir 0,51% em 2020


As contas são fáceis de fazer: um inquilino que esteja a pagar pela casa na qual vive uma renda de 1.000 euros por mês vai ter de pagar no próximo ano mais cinco euros todos os meses, o que significa um aumento anual de 60 euros. Esta é a consequência da aplicação do coeficiente de atualização das rendas que todos os anos é apurado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) a partir da variação média do índice de preços, nos últimos 12 meses até agosto, excluindo a habitação.  Segundo o INE, que confirmou esta quarta-feira (13 de setembro de 2019) a estimativa anunciada no final de agosto, ...Continuar a Ler


Continuar a Ler


Obra nova ganha asas em Lisboa: 59% dos fogos em licenciamento são deste tipo

Obra nova ganha asas em Lisboa: 59% dos fogos em licenciamento são deste tipo


A aposta na construção nova em Portugal, nomeadamente em Lisboa, parece ser cada vez mais uma realidade. No primeiro semestre, foram submetidos a licenciamento 2.241 novos fogos na capital, num total de 240 projetos residenciais, sendo que 59% destes fogos (1.333) são gerados em obra de construção nova. Este passa a ser, assim, o tipo de obra dominante entre os novos investimentos em promoção residencial contabilizados no pipeline do concelho. Segundo dados revelados pela Confidencial Imobiliário (Ci), o pipeline dos últimos dois anos e meio (de janeiro de 2017 a junho de 2019) eleva-se para 9.758 fogos num total de 1.116 projetos residenciais. “Tal carteira concentra 10% dos fogos projetados a nível ...Continuar a Ler


Continuar a Ler


“Imobiliário sempre foi um investimento com bom retorno e agora não será diferente”

“Imobiliário sempre foi um investimento com bom retorno e agora não será diferente”


Gestão e fiscalização de obras, coordenação de segurança em obra, elaboração de estudos e projetos de construção e avaliação imobiliária. É nestas quatro áreas distintas que a GesConsult atua, revela ao idealista/news Nuno Garcia, diretor-geral da empresa, que nasceu há seis anos. Segundo o responsável, investir em imobiliário será sempre uma boa opção, mesmo em tempos de pandemia de novo coronavírus: “Conhecendo a resiliência no setor, acredito que ultrapassada a pandemia - e caso não exista uma segunda vaga - teremos condições para retomar em força no primeiro trimestre de 2021”, antecipa. Quando é que a GesConsult começou a operar e o que faz em concreto? A GesConsult nasceu em março de 2014, com a ...Continuar a Ler


Continuar a Ler

Apresentar 25 a 30 de 30 registos encontrados